Aprendizado Espírita
Textos e ferramentas para aprender e divulgar o Espiritismo
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


A Trindade Universal - Conceitos básicos

SUMÁRIO
 

Instrutor Guima

Caro(a) leitor(a),

Abaixo, vai pequeno texto introdutório sobre A Trindade Universal, que, como se sabe, representa a síntese do Universo, segundo a filosofia espírita.


Na explanação desse tema, há diversos conceitos que precisam ser bem entendidos. Essa a razão da breve pesquisa que fizemos nos textos de Kardec, que acompanha o texto acima.

Boa leitura!

A TRINDADE UNIVERSAL

Allan Kardec lecionou, em síntese, que o Universo criado por Deus se resume à TRINDADE UNIVERSAL:
 
- DEUS (Inteligência Suprema e Causa Primária de Todas as Coisas), o
- PRINCÍPIO INTELIGENTE (Espírito) e o
- PRINCÍPIO MATERIAL (O Fluido Cósmico Universal).   

O PRINCÍPIO INTELIGENTE organiza a matéria atuando sobre a energia primitiva (Fluido) e a anima nas várias formas de vida vegetal e animal. Tempos e tempos depois, o PRINCÍPIO INTELIGENTE sofre uma transformação e se torna ESPÍRITO. É então que começa para ele o período da humanidade.(1) E esses ESPÍRITOS – inicialmente, simples e ignorantes – são postos a crescer espiritualmente em diversos mundos materiais, e, depois, em outros mundos mais evoluídos, numa lenta jornada de vidas sucessivas.

Nesse processo, situam-se ora ENCARNADOS nos mundos materiais, ora DESENCARNADOS nos mundos espirituais, havendo ESPÍRITOS e MUNDOS, mais ou menos evoluídos.

Veja este mapa mental: (aqui)   
 
(1) KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos, de 1857. Questões 190, 607, 607a, 607b

Voltar

GLOSSÁRIO

FLUIDO -  (pronuncia-se fluido)  

O termo fluido, que atualmente é empregado com o significado mais restrito de substância líquida ou gasosa, designava, na época da coficação, por ser consuetudinário e de acordo com os conhecimentos científicos de então, todas as forças e energias naturais, além dos próprios líquidos e gases. Assim, o que hoje denominamos energia elétrica, força magnética e força gravitacional, era conhecido como fluido elétrico, fluido magnético e fluido gravitacional.

 
(T. S. Santiago in Reformador, maio/85).
 

OS FLUIDOS

5.    O ponto de partida do fluido universal é o grau de pureza absoluta, do que nada pode dar uma ideia; o ponto oposto é a sua transformação em matéria tangível. Entre os dois extremos, existem inúmeras transformações, as quais se aproximam mais ou menos de uma ou de outra.

.................................

A qualificação de fluidos espirituais não é rigorosamente exata, pois que, em definitivo, trata-se sempre de matéria mais ou menos quintessenciada. Nada há de realmente espiritual senão a alma ou princípio inteligente. Eles são assim designados por comparação, e sobretudo em razão de sua afinidade com os Espíritos. Pode-se dizer que é a matéria do mundo espiritual: é por isso que são chamados fluidos espirituais.

6.   Quem conhece, aliás, a constituição íntima da matéria tangível? Talvez ela não seja compacta, senão em relação aos nossos sentidos, o que seria provado com a facilidade com que ela é atravessada pelos fluidos espirituais e pelos Espíritos, aos quais ela não opõe mais obstáculos que os corpos transparentes em relação à luz.

A matéria tangível, tendo por elemento primitivo o fluido cósmico etéreo, ao desagregar-se, deve poder voltar ao estado de eterização, assim como o diamante, o mais duro dos corpos, pode volatizar-se num gás impalpável. A solidificação da matéria, na realidade, não passa de um estado transitório do fluido universal, o qual pode voltar ao seu estado primitivo quando as condições de coesão cessam de existir.  (Grifei.) 

 
(Extraído do Cap. XIV do Livro A Gênese, 1869, Allan Kardec)

Voltar
 
CONCEITOS SOBRE A TRINDADE UNIVERSAL: Deus, Espírito e Matéria         

O Livro do Espíritos

Questão 8 - Que pensar da opinião que atribui a formação primária a uma combinação fortuita da matéria, ou seja, ao acaso? (Grifei.)
 
R.  Outro absurdo? Que homem de bom senso pode considerar o acaso como um ser inteligente? E, além disso, o que é o acaso? Nada.  (Grifei.) (Ver Questão 958.)
 
Questão 22 - Define-se geralmente a matéria como aquilo que tem extensão, que pode impressionar os sentidos e é impenetrável. Essa definição é exata?

R. Do vosso ponto de vista, sim, porque só falais daquilo que percebeis. Mas a matéria existe em estados que não conheceis. Ela pode ser, por exemplo, tão etérea e sutil que não produza nenhuma impressão nos vossos sentidos; entretanto, será sempre matéria, embora não o seja para vós.

Questão 23 - Que é o espírito?

R. O princípio inteligente do Universo.

 
(NOTA:  espírito com ‘e’ minúsculo, pois se refere ao princípio espiritual. Ver Questão 76.)

Questão 23.A - Qual é a sua natureza íntima?

R. Não é fácil analisar o espírito na vossa linguagem. Para vós ele não é nada, porque não é coisa palpável; mas, para nós, é alguma coisa. Ficai sabendo: nenhuma coisa é o nada e o nada não existe. (Grifei.)

Questão 25 - O Espírito é independente da matéria ou não é mais do que uma propriedade desta, como as cores são propriedades da luz e o som uma propriedade do ar?

R. São distintos, mas é necessária a união do espírito e da matéria para dar inteligência a esta.

Questão 25.A - Esta união é igualmente necessária para a manifestação do espírito? (Por espírito entendemos aqui o princípio da inteligência, abstração feita das individualidades designadas por esse nome.)

R. É necessária para vós, porque não estais organizados para perceber o espírito sem a matéria; vossos sentidos não foram feitos para isso.

Questão 27 - Haveria, assim, dois elementos gerais do Universo; a matéria e o espírito?

R. Sim, e acima de ambos Deus, o Criador, o pai de todas as coisas. Essas três coisas são o princípio de tudo o que existe, a trindade universal. Mas ao elemento material é preciso ajuntar o fluido universal, que exerce o papel de intermediário entre o espírito e a matéria propriamente dita, demasiado grosseira para que o espírito possa exercer alguma ação sobre ela. Embora, sob certo ponto de vista, se pudesse considerá-lo como elemento material, ele se distingue por propriedades especiais. Se fosse simplesmente matéria, não haveria razão para que o espírito não o fosse também. Ele está colocado entre o espírito e a matéria; é fluido, como a matéria é matéria; susceptível, em suas inumeráveis combinações como esta, e sob a ação do espírito, de produzir infinita variedade de coisas, das quais não conheceis mais do que uma ínfima parte. Esse fluido universal, ou primitivo, ou elementar, sendo o agente de que o espírito se serve, é o princípio sem o qual a matéria permaneceria em estado de dispersão e não adquiriria jamais as propriedades que a gravidade lhe dá. (Grifei.)

Questão 27.A - Seria esse fluido o que designamos por eletricidade?

R. Dissemos que ele é susceptível de inumeráveis combinações. O que chamais de fluido elétrico, fluido magnético, são modificações do fluido universal, que é, propriamente falando, uma matéria mais perfeita, mais sutil, que se pode considerar como independente.

Questão 30 - A matéria é formada de um só ou de muitos elementos?

R. De um só elemento primitivo. Os corpos que considerais como corpos simples não são verdadeiros elementos, mas transformações da matéria primitiva.

Questão 31 - De onde provém as diferentes propriedades da matéria?

R. Das modificações que as moléculas elementares sofrem, ao se unirem, e em determinadas circunstâncias.

Questão 34 - As moléculas têm uma forma determinada?

R. Sem dúvida que as moléculas têm uma forma mas não a podeis apreciar.

Questão 34.A - Essa forma é constante ou variável?

R. Constante para as moléculas elementares primitivas, mas variável para as moléculas secundárias, que são aglomerações das primeiras. Isso que chamais molécula está ainda longe da molécula elementar. (Grifei.)

Questão 36 - O vazio absoluto existe em alguma parte do espaço universal?

R. Não, nada é vazio.O que é vazio para ti está ocupando por uma matéria que escapa aos teus sentidos e aos teus instrumentos.

Questão 76 - Como podemos definir os Espíritos?

 
(NOTA: Espírito com ‘maiúscula’, pois se refere ao Espírito humano. Ver Questão 23.)

R. Podemos dizer que os Espíritos são os seres inteligentes da Criação. Eles povoam o Universo, além do mundo material.
 
NOTA (De Allan Kardec): A palavra Espírito é aqui empregada para designar os seres extra-corpóreos e não mais o elemento inteligente Universal.

Questão 79 - Uma vez que há dois elementos gerais do Universo: o inteligente e o material, poderíamos dizer que os Espíritos são formados do elemento inteligente, como os corpos inertes são formados do material?

R. É evidente. Os Espíritos são individualizações do princípio inteligente, como os corpos são individualizações do princípio material; a época e a maneira dessa formação é que desconhecemos.

Questão 82 - É certo dizer que os Espíritos são imateriais?

R. Como podemos definir uma coisa, quando não dispomos de termos de comparação e usamos uma linguagem insuficiente? Um cego de nascença pode definir a luz? Imaterial não é o termo apropriado; incorpóreo seria mais exato; pois deves compreender que, sendo uma criação,  o Espírito deve ser alguma coisa. É uma matéria quintessenciada, para a qual não dispondes de analogia, e tão eterizada, que não pode ser percebida pelos vossos sentidos. (Grifei.)

 
NOTA (de J.Herculano Pires, tradutor): Os Espíritos revestidos do perispírito são o objeto desta referência. Sem o perispírito, nada têm de material, como vemos na resposta ao item 79.

Questão 84 - Os Espíritos constituem um mundo à parte, além daquele que vemos?

R. Sim, o mundo dos Espíritos ou das inteligências incorpóreas.

Questão 85 -  Qual dos dois, o mundo espírita ou o mundo corpóreo, é o principal na ordem das coisas?

R. O mundo espírita; ele preexiste e sobrevive a tudo.

Questão 88 - Os Espíritos têm uma forma determinada, limitada e constante?

R. Aos vossos olhos, não, aos nossos, sim. Eles são, se o quiserdes, uma flama, um clarão ou uma centelha etérea.

 
NOTA (de J.Herculano Pires, tradutor): Todo esse trecho se refere ao Espírito puro desprovido de perispírito. Necessário atentar para essas variações, a fim de não confudirmos as explicações.

Questão 540/Resposta: (...) É assim que tudo serve, tudo se encadeia na Natureza, desde o átomo primitivo até o arcanjo, pois ele mesmo começou pelo átomo. Admirável lei de harmonia, de que o vosso Espírito limitado ainda não pode abranger o conjunto!
 
(Extraídos de O LIVRO DOS ESPÍRITOS, 1857,  Allan Kardec, tradução de J. Herculano Pires)
 

Item 12, Cap. XIV de A GÊNESE, de Kardec

Assim, tudo se liga no Universo, tudo se encadeia, tudo está submetido à grande e harmoniosa lei de unidade, desde a materialidade mais compacta até a espiritualidade mais pura.
Questão 134 - O que é a alma?

R. Um Espírito encarnado.

Questão 134.A - O que era a alma, antes de unir-se ao corpo?

R. Espírito.

Questão 134.B  - As almas e os Espíritos são, portanto, uma e a mesma coisa?

R. Sim, as almas não são mais do que os Espíritos. Antes de ligar-se ao corpo, a alma é um dos seres inteligentes que povoam o mundo invisível, e depois reveste temporariamente um invólucro carnal, para se purificar e esclarecer. (Grifei.)

Questão 135 - Há no homem outra coisa, além da alma e do corpo?

R. Há o liame que une a alma e o corpo.

Questão 135.A - Qual é a natureza desse liame?

R. Semimaterial: quer dizer, um meio-termo entre a natureza do Espírito e do corpo. E isso é necessário para que eles possam comunicar-se. É por meio desse liame que o Espírito age sobre a matéria, e vice-versa.

 
NOTA (de Allan Kardec): O homem é assim formado de três partes essenciais:

             1º) o corpo ou ser material, semelhante ao dos animais e animado pelo mesmo princípio vital;

             2º) a alma, ou Espírito encarnado, do qual o corpo é a habitação;

             3º) o perispírito, princípio intermediário, substäncia semi-material, que serve de primeiro envoltório ao Espírito e une a alma ao corpo.


Questão 136.A - O corpo pode existir sem a alma?

R. Sim; e não obstante, desde que o corpo deixa de viver, a alma o abandona. (...) A vida orgânica pode animar um corpo sem alma, mas a alma não pode habitar um corpo sem vida orgânica.

Item 7, Cap. XIV de A GÊNESE, de Kardec:

O perispírito, ou corpo fluídico dos Espíritos, é um dos produtos mais importantes do fluido cósmico; é uma condensação desse fluido em torno de um foco de inteligência ou alma. Já vimos que o corpo carnal tem igualmente seu princípio nesse mesmo fluido transformado e condensado em matéria tangível; no perispírito, a transformação molecular se opera diferentemente, pois o fluido conserva sua imponderabilidade e suas qualidades etéreas. O corpo perispiritual e o corpo carnal, pois, têm sua fonte no mesmo elemento primitivo; um e outro são matéria, embora sob dois estados diversos. (Grifei.)
Questão 146 - A alma tem, no corpo, uma sede determinada e circunscrita?

R. Não. Mas ela se situa mais particularmente na cabeça entre os grandes gênios e todos aqueles que usam bastante o pensamento, e no coração dos que sentem bastante, dedicando todas as suas ações à humanidade.

 
(NOTA: Em  todo “O Livro dos Espíritos”, só encontramos esta leve referência aos ‘centros vitais’ ou chakras.)

Questão 958 - Porque o homem repele instintivamente o nada?

R. Porque o nada não existe.

 
Item 11, Cap. XIV, de A GÊNESE, de Kardec:

O meio está sempre em relação com a natureza dos seres que aí devem viver; os peixes estão na água; os seres terrestres estão no ar; os seres espirituais estão no fluido etéreo ou espiritual, mesmo sobre a Terra. O fluido etéreo é para as necessidades do Espírito, o que a atmosfera é para as necessidades dos encarnados.

Item 31 e 33, Cap. XIV, de A GÊNESE, de Kardec:

Como vimos, o fluido universal é o elemento primitivo do corpo carnal e do perispírito, do qual são transformações. Pela identidade de sua natureza, este fluido, condensado no perispírito, pode fornecer ao corpo os princípios reparadores; o agente propulsor é o Espírito, encarnado ou desencarnado, que infiltra num corpo deteriorado uma parte da substância de seu envoltório fluídico.

.........................................

A ação magnética pode produzir-se por diversas maneiras:

   1º) Pelo próprio fluido do magnetizador; é o magnetismo propriamente dito, ou magnetismo humano, cuja ação é subordinada à potência e sobretudo à qualidade do fluido.

   2º) Pelo fluido dos Espíritos que atuam diretamente e sem intermediário sobre um encarnado (...) É o magnetismo espiritual, cuja qualidade está em razão das qualidades do Espírito.

   3º) Pelo fluido que os Espíritos derramam sobre o magnetizador e ao qual este serve de condutor. É o magnetismo misto, semi-espiritual, ou se assim o quisermos, humano-espiritual. O fluido espiritual, combinado com o fluido humano, dá a este último as qualidades que lhe faltam. 

ALGuimaraes
Enviado por ALGuimaraes em 17/01/2016
Alterado em 17/01/2016


Comentários

Os Curadores do Senhor R$20,00
Abigail [Mediunidade e redenção] R$20,00
Menino-Serelepe R$20,00